1 2 3
Artigos

ANSIEDADE INFANTIL NA ESCOLA COMO AJUDAR A ESCOLA DE SEU FILHO A AJUDÁ-LO

por Judy Kramer

Se você perceber ou alguém lhe disser que seu filho(a) pode ter um problema ou desordem de ansiedade, aqui estão alguns passos que podem ser úteis:

1. Procure um especialista que seja familiarizado com o tratamento de desordens de ansiedade. Tente encontrar um que já tratou de crianças com sucesso. Peça indicação para seu pediatra ou para o psicólogo de escola

2. Chame o Departamento de Saúde de sua cidade, algum hospital ou centro de tratamento de desordens de ansiedade para informações e listas de provedores de tratamento.  

3. Procure por um especialista para tratar seu filho, com quem VOCÊ se sente confortável, alguém que esteja aberto para ter um diálogo aberto. Como o defensor de sua criança ou adolescente, você e também seu filho,  precisarão de informação, apoio e orientação.

4. Marque um horário para uma consulta e avaliação da crianças.

Se seu filho for diagnosticado com uma desordem de ansiedade.

5. Aprenda tudo que você puder sobre a desordem. Existem livros, artigos, folhetos para ajudar. Muitos podem ser encontrados em sua biblioteca local ou em livrarias. No futuro, o APOIAR terá material para distribuição. 

6.
 Trabalhe com o profissional (psicólogo, psiquiatra) no sentido de ajudar sua criança/adolescente a compreender a desordem. Nenhuma criança é muito jovem para entender uma explicação, desde que seja explicada de acordo com a idade dela. Informações efetivas podem ajudar a acabar com os sentimentos de vergonha ou de culpa em sua criança. Esta informação se torna uma ferramenta de defesa de seu filho, para poder usar no recreio/intervalo na escola e na sala de aula; como também para auxiliar os outros a entenderem os comportamentos diferenciados e poderem responder adequadamente às necessidades de seu filho. 
Organize uma reunião familiar com o especialista que escolheu para o tratamento, os irmãos também devem estar presentes, de forma que todos entendam a desordem e possam agir de maneira que ajude a criança durante as dificuldades...

7. Planeje com o especialista uma visita à escola de seu filho(a) em fevereiro ou agosto, antes das aulas começarem. Esteja também na reunião. Peça para que todos os professores, conselheiros, pessoal de saúde e administradores que interagirão com sua criança para estarem presentes, e diga à escola quem você estará trazendo com você. Solicite ao especialista para apresentar informações sobre a desordem de ansiedade, como ela age sobre sua criança e o que os professores podem esperar. Eles precisam estar preparados para poderem ajudar melhor sua criança. Dê a eles uma lista onde esteja escrito o que podem fazer para ajudar ou  prejudicar seu filho. Apresente seu filho como ele é: com os pontos fortes e os fracos, maiores interesses, habilidades, coisas de que gosta mais. Ajude-os a ver seu filho como um todo, não como uma criança doente. Traga uma fotografia dele(a), de forma o reconhecerão logo no primeiro dia de aula..  

8.
 Prepare uma pasta com todas informações necessárias. Passe uma lista onde todos os presentes assinem (o nome e o cargo na escola), de forma que no futuro não aleguem ignorar o assunto.

Na reunião:

9. Peça que  todos os participantes sejam apresentados a você, não fique temeroso pela audiência, VOCÊ é o perito no que diz respeito à sua criança e está proporcionando a eles valiosa informação que tornará o trabalho deles mais fácil e mais próspero, além de poderem ajudar outras crianças no futuro. 

10.
 Peça que o especialista que o acompanha para falar ao grupo, dando uma explicação da desordem de ansiedade, os efeitos colaterais de qualquer medicamento que sua criança estiver tomando.  

12.
 Permita e encoraje qualquer pergunta a você e ao especialista. Dê o número de seu telefone, e se o especialista permitir o dele, para que os participantes possam ligar se tiverem perguntas adicionais ou dificuldades.  

13.
 Convide seu filho a comparecer a esta reunião (não importa a idade dele) se você sentir que ele está preparado, mas ele só poderá assistir o início da reunião, talvez ele queria fazer uma lista de coisas que podem ajudá-lo ou machucá-lo psicologicamente. 

Depois da reunião: 

14.
 Diga a seu filho(a) (se ela não esteve presente) o que você e o especialista fizeram: que  explicaram a desordem ao pessoal da escola, que eles precisam entendê-la para poder ajudar. Faça com que seu filho(a) tenha certeza de que os professores sabem sobre a desordem de ansiedade e como ajudá-lo. Encoraje seu filho a compartilhar com você a maneira com que o pessoal da escola está resolvendo as situações difíceis quando elas surgirem. Deixe que ela saiba você a está defendendo. Junto com seu filho(a) tente encontrar maneiras que ela possa se ajudar se tiver dificuldades, preveja situações difíceis e tente planejar uma reação adequada.  

15.
 Encoraje seu filho a compartilhar os acontecimentos escolares com você e tente determinar se os pedagogos estão respondendo adequadamente às necessidades dele. Se os professores estão se preocupando e sendo úteis, deixe-os saberem que você reconhece os seus esforços. Dê-lhes uma avaliação positiva, dizendo que o que estão fazendo é bom e útil. Escreva uma nota de elogio para o diretor da escola e peça que seja incluída nos arquivos pessoais dos professores. Se os professores não se mostrarem úteis, ofereça uma "injeção auxiliar", fazendo novamente cópias de informação sobre a desordem de ansiedade. Peça uma reunião com o psicólogo escolar e tente montar uma estratégia para ajudar os professores a entenderem o problema e ajudarem seu filho.   

16.
 Lembre-se que você tem uma criança com uma desordem real, séria e tratável e que a ela é garantida, através da lei, uma educação apropriada para suas necessidades.

voltar